quarta-feira, 18 de julho de 2018

Pane elétrica tira Alfredinho Ibiapina da disputa final do Brasileiro de Kart

A “briga” era pela terceira posição quando o kart perdeu rendimento e parou obrigando o piloto a abandonar a prova.


A disputa pela categoria Cadete foi uma das mais emocionantes da primeira fase do Brasileiro de Kart, encerrado no último sábado (14/07), no kartódromo Granja Viana, em Cotia SP. Foram 46 pilotos inscritos concorrendo a 36 vagas para a pré final e prova final, divididos em três grupos: AxB, AxC e BxC. Com bons resultados nas duas baterias classificatórias pelo grupo A e na pré-final, o piloto curitibano Alfredinho Ibiapina (Embrasil) conquistou o quinto lugar no grid de largada para a corrida decisiva.

Com menos de um ano de experiência em competições de kart, Alfredinho Ibiapina largou bem na prova final e na terceira volta ocupava o terceiro lugar do pelotão. As disputas estavam acirradas, o piloto conseguiu defender a posição conquistada até a sétima passagem, mas o kart começou a perder rendimento, posições e parou de vez no final da reta quando estava no quinto lugar. Houve ainda uma tentativa de voltar para a pista, mas arrebentou o fio da chave que liga o motor e Alfredinho Ibiapina teve que abandonar a prova na nona volta.

 “Ver dois karts apenas na minha frente em uma final de Campeonato Brasileiro aumentou a minha motivação e a vontade de chegar mais a frente crescia em cada curva. Mas de repente, o kart foi desistindo, ficando mais lento até parar e não funcionar mais. Eu não acreditei quando soube que não teria chances de voltar. Mas, competição de kart é assim mesmo. As vezes um fiozinho solto ou um parafusinho de nada te tira da jogada. Mas estou satisfeito com o meu desempenho e o da minha equipe neste Brasileiro e  temos outros campeonatos importantes pela frente”, disse Alfredinho Ibiapina.

“O Alfredinho foi gigante nas disputas do Brasileiro. Com tantos pilotos mais experientes no traçado da Granja ele conseguiu uma boa colocação no grid da final, e tenho certeza, que se não fosse a pane elétrica e o fio arrebentado da chave que liga o motor, teríamos um troféu desta edição”, comentou Jefferson Neves, preparador do piloto.

Texto e fotos: Eni Alves

Nenhum comentário:

Postar um comentário